Gestão

Planejamento estratégico, papéis e responsabilidades e as brincadeiras de roda

Os últimos 18 meses foram complicados para todo o mundo. Os setores da economia tiveram impactos significativos devido ao cenário mundial e não foi diferente no setor de medicina diagnóstica.

Os primeiros meses, com certeza, foram os mais assustadores. Não havia uma matriz de risco sequer que conseguisse prever o que estávamos passando. E, não sendo possível prever, foi necessário se adequar ao novo e desafiador cenário que estava à nossa frente.

O planejamento estratégico tão bem elaborado e desenhado precisou ser revisto às pressas. Metas anuais precisaram ser alteradas para mensais. Novos líderes foram forjados no fogo para garantir que as atividades não parassem por completo.

Agora, com uma realidade um pouco diferente precisamos juntar todo o conhecimento adquirido no período para traçar novos planos, fortalecer as bases gerenciais e inovadoras do laboratório, rever as diretrizes da empresa, definir projetos e metas para que consigamos chegar mais longe.

Estamos no final do ano de 2021, mas independente da época em que você ler este texto, vale a pergunta: como está o planejamento estratégico do seu laboratório?

Vale ressaltar que as atividades que um laboratório realiza para conquistar o futuro tão desejado não podem ser direcionadas apenas pelo entusiasmo, esperança ou achismo. É preciso aplicar um processo sistêmico, onde estejam definidos claramente o que fazer, como fazer, além de um monitoramento periódico dos indicadores e metas, e do andamento dos planos de ação.

Apenas com a estratégia adequada será possível dirigir seus esforços para objetivos preestabelecidos e com isso aplicar, de maneira racional, seus recursos e obter uma vantagem competitiva perante seus concorrentes. Esta ferramenta de gestão permite solucionar problemas imediatos, projetar o futuro e ainda, redimensionar o programa a qualquer instante, de acordo com as necessidades que podem mudar, e sabemos que podem mudar a qualquer momento.

Trata-se de um trabalho contínuo, afinal, planejamento estratégico é um ato de inteligência que gera enorme valor para a sua empresa!

Você pode escolher as ferramentas que se sente mais confortável para realizar o planejamento estratégico da organização. O importante é que faça e acompanhe o seu desenvolvimento.

Mas para que o planejamento estratégico seja realizado e acompanhado é preciso definir os papéis e responsabilidades de cada participante deste projeto.

Papéis são as posições que cada pessoa assume na equipe, por exemplo, na matriz RACI onde são definidos o profissional Responsável, o Aprovador, aquele que é Consultado e também o Informado. Já as responsabilidades são tarefas e compromissos específicos que se espera das pessoas que ocupam determinado papel.

Quando os papéis e responsabilidades não estão claramente definidos os integrantes de uma equipe podem acabar ficando em uma brincadeira de roda enquanto cantam “ciranda, cirandinha, vamos todos cirandar, vamos dar a meia volta, volta e meia vamos dar”. Sem a definição de papéis e responsabilidades o projeto dificilmente sairá do lugar, ou do papel.

Um bom planejamento estratégico com as definições de papéis e responsabilidades de todos os envolvidos será um direcionador confiável para você avaliar oportunidades, traçar um novo curso e guiar o seu laboratório por águas turbulentas.

Mas antes de sair delegando atividades ou cobrando resultados, você gestor precisa ter uma coisa em mente: saber onde se quer chegar é o primeiro passo. Caso contrário, acabamos dando sentido a Sêneca quando ele disse que “quando se navega sem destino, nenhum vento é favorável”.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios