Foco no ClienteInovação e TecnologiaNotícias Gerais

O laudo laboratorial redesenhado

O exame de sangue é, quando você pensa sobre isso, uma coisa incrível. Com a punção de uma agulha, as moléculas que fluem pelas veias podem ser extraídas, centrifugadas e traduzidas em um fluxo de dígitos, unidades e acrônimos.

O sangue se torna um dado e, nesses números, reside o conhecimento sobre sua saúde atual, seus riscos de doenças e sua potencial resposta ao tratamento.

Claro, uma pessoa comum teria dificuldade em decifrar tudo isso. O relatório de exame de sangue típico é um exercício de ofuscação, um documento que precisa ser traduzido por um especialista de laboratório ou médico. O sangue pode ser seu, mas as informações que ele contém não são. Mas isso está mudando.

Os relatórios do laboratório não precisam ser ininteligíveis. Com algumas ponderações a respeito do design do laudo, os testes podem ser tão informativos para os pacientes quanto para os médicos. Com um pouco de contexto e cor, podemos entender os números. E com um pouco mais de compreensão, os pacientes podem se tornar participantes de sua própria saúde.

Mudança no trajeto

Temos visto isso com uma frequência maior nos últimos anos: o paciente no centro do cuidado. Todas as informações precisam ser entendidas por ele, além dos profissionais de saúdem que o atendem.

Devemos sempre lembrar que os laboratórios clínicos são empresas prestadoras de serviço e o cliente tem o direito garantido por lei de entender tudo o que ele está recebendo, neste caso o laudo.

No Brasil o laboratório Delboni Auriemo, marca pertencente ao laboratório DASA, inovou, no final de 2018, ao lançar o seu modelo reformulado de laudo digital (clique aqui para ver).

O que mudou? O novo modelo de laudo traz os índices em diferentes cores segundo os níveis esperados para o exame. Ou seja, quando o resultado está normal, o índice fica verde e se a taxa está alterada, passa para laranja, por exemplo. Além disso, a apresentação das páginas de resultado também sofreu mudanças, com todos os resultados do paciente exibidos de forma conjunta. (Informações do Labnetwork).

Entretanto, não basta apenas que os laboratórios estejam interessados em ter um modelo de laudo diferente e mais intuitivo. É preciso que as empresas desenvolvedoras de LIS possibilitem essa mudança, tendo em vista que os dados são analisados através destes softwares que nos acompanham durante nossas rotinas dentro do laboratório.

Na sequência desta publicação vamos trazer algumas ideias para reformular os laudos que foram publicadas pelo site Wired no ano de 2010. Para a elaboração das ideias de laudo fora consultados os Drs Lisa Schwartz e Steven Woloshin, médicos do Instituto de Políticas de Saúde e Prática Clínica da Escola Médica de Dartmouth e especialistas em comunicar dados aos pacientes, para garantir que as informações corretas entrem nos formulários e que as coisas irrelevantes permaneçam ausentes.

Foram convidados três designers excepcionais para reimaginar como essas informações podem ser apresentadas – limitando-as a uma página impressa por laudo.

Considere isso uma prova de conceito, uma refutação do argumento de que pessoas comuns não podem cuidar de sua saúde.

É o seu corpo. São suas informações. O laudo agora pode ser entendido por você.

O trabalho básico

A análise de sangue padrão leva mais de 30 medições e pode ter mais de quatro páginas. Todo tipo de coisa pode aparecer no relatório. O desafio para o médico e o paciente é encontrar a agulha no palheiro.

Como poderia ficar

 

Os exames para avaliar doença cardíaca

Além dos testes de colesterol e do monitoramento da pressão alta, o teste da Proteína C Reativa, ou PCR, é amplamente utilizado para identificar pessoas em risco de doenças cardíacas, a principal causa de morte em diversos países do mundo.

Como poderia ficar

Exames para alteração da Próstata

Abreviação para o Antígeno Prostático Específico, o teste PSA é uma das investigações mais comuns para homens acima de 40 anos.

Como poderia ficar

 

Essas são apenas ideias para reformular os laudos do seu laboratório. Vale a pena uma reflexão a respeito e os benefícios que essa mudança pode trazer para os pacientes e demais clientes atendidos pelo laboratório.

Publicado originalmente em Wired (original em Inglês). Acesso em 23/01/2020.
Laudos e imagens de Mucca Design, Garry McLeod, David McCandless e Jung + Wenig.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios