GestãoNotícias Gerais

Coronavírus: o papel do laboratório clínico em meio a Pandemia

Estamos passando por uma situação de Pandemia relacionada ao coronavírus (COVID-19). Vários setores estão se mobilizando para adequarem seus processos de atendimento para tenta manter o fluxo normal e garantir a segurança de seus clientes e colaboradores.

Por esse motivo estou trazendo algumas ideias que podem ser utilizadas no setor de análises clínicas. Sei que não são informações dos órgãos oficiais, mas que podem ser úteis frente a situação que estamos passando.

Sobre o Coronavírus e a COVID-19

Coronavírus (CoV) é uma família de vírus (Coronaviridae) que causa infecções respiratórias.

Os vírus que fazem parte desta família pertencem, principalmente, a 4 gêneros: alphacoronavírus, betacoronavírus, gammacoronavírus e deltacoronavírus.

A COVID-19 é a doença causada pelo vírus SARS-COV-2 e teve o primeiro caso de contágio informado  no final de 2019 na província de Wuhan, China. De lá pra cá tem tomado conta do mundo.

O período de incubação da COVID-19 varia entre 2 e 14 dias, sendo 5 dias o período médio de incubação.

O período de transmissão da infecção é em média 7 dias após o início dos sintomas, porém há indícios de transmissão mesmo sem a presença de sintomas.

As medidas preventivas mais eficazes são:

  • Ao tossir ou espirrar, cobrir a boca e o nariz com o cotovelo flexionado ou com um lenço – em seguida, jogar fora o lenço e higienizar as mãos
  • Lavar as mãos com água e sabão ou álcool gel 70%
  • Manter uma distância de segurança (mínima de 1 metro) de pessoas com sintomas de infecção respiratória, evitando o contato (quando possível).

A Organização PanAmericana de Saúde (OPAS) divulgou uma imagem educacional que você pode ler e imprimir para seus pacientes, promovendo educação em saúde. Clique aqui para acessar a imagem.

Existem sites onde é possível acompanhar a evolução do alcance da pandemia praticamente em tempo real.

Um deles é o da plataforma IVIS (Plataforma Integrada de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde) – http://plataforma.saude.gov.br/novocoronavirus/.

Outro é da Universidade americana “Johns Hopkins” – https://www.arcgis.com/apps/opsdashboard/index.html#/bda7594740fd40299423467b48e9ecf6.

Função do laboratório

O diagnóstico da COVID-19 é realizada em 3 esferas diferentes: clínico, diferencial e laboratorial. As duas primeiras realizadas por médicos e outros profissionais da saúde, entretanto o diagnóstico laboratorial é 100% realizado em nossa área de atuação.

A missão do laboratório inicialmente era confirmar ou descartar casos suspeitos, porém passará a ter um importante papel na triagem de pacientes suspeitos, encaminhando para hospitais da região apenas casos positivos nos exames realizados internamente.

Por este motivo é importante preparar os colaboradores para que saibam atender os pacientes da maneira correta, com atendimento humanizado e principalmente segurança.

Exames disponíveis

Inicialmente os  exames eram coletados em hospitais e encaminhados para laboratórios de referência que utilizavam a metodologia PCR (Reação em Cadeia da Polimerase) para detectar a presença de antígenos na amostra emitindo o laudo para definir o paciente como portador da doença ou descartar a possibilidade de infeção. Esse é o exame padrão ouro adotado pelo Ministério da Saúde.

Entretanto, em 19/03/2020 foi divulgado no Diário Oficial da União a aprovação de Testes Laboratoriais Remotos que passaram a fazer parte na frente de batalha contra a COVID-19.

Esses exames estão autorizados a serem executados em diversos estabelecimentos de saúde no Brasil, incluindo laboratórios e farmácias.

As metodologias utilizadas nos exames TLRs serão Imunocromatografia para detecção de anticorpos IgG/IgM e Antígenos específicos e também a metodologia Imunofluorescência para a detecção de antígenos específicos.

Esses exames demoram entre 10 e 15 minutos para liberação do resultado e isto poderá nos dar uma vantagem no combate a disseminação do COVID-19.

Quanto mais cedo um paciente receber o resultado, melhor para a definição dos processos posteriores – encaminhamento para hospital regional ou isolamento domiciliar.

Leia também: Influenza: o que é e como diagnosticar em seu laboratório.

Como proceder no laboratório

Os laboratórios, assim como outros estabelecimentos de saúde, não podem fechar em momentos como esse. Nós fazemos parte do time de enfrentamento da pandemia.

Mesmo assim precisamos nos proteger para conseguir atender o maior número de pessoas possível.

Em alguns laboratórios, antes mesmo do caso do COVID-19 já eram utilizados EPIs além de luvas e jalecos, podendo fazer parte destes materiais a tocas e máscaras descartáveis.

Essa é uma medida interessante, porém estamos passando por um momento de escassez desses materiais nos distribuidores.

Entretanto podemos seguir alguns passos:

  • Entregar máscara descartável para pacientes que chegarem ao laboratório com sintomas respiratórios ou suspeitos de infecção
  • Usar máscaras e óculos de segurança para realizar o atendimento a pacientes com sintomas respiratórios ou suspeitos de infecção
  • Disponibilizar álcool 70% para que todos os pacientes utilizem antes e após o atendimento
  • Higienizar bancadas e materiais utilizando álcool 70% ao final de cada atendimento
  • Lavar as mãos com água e sabão ou higienizar com álcool 70% entre cada atendimento

Gestão de Pessoas

Alguns nichos empresariais estão adotando o home office como medida para diminuir a circulação de pessoas nas ruas, transporte público, entre outros.

Entretanto, na área da saúde esta é uma medida um tanto quanto difícil de se realizar.

Porém, se o laboratório possuir uma força de trabalho ou setores que podem realizar atividades remotas, esta é uma boa hora para definir isso internamente.

Setores administrativos são os mais fáceis de adotarem esta forma de trabalho.

Dependendo do fluxo de atendimento, poderá realizar rodízio entre os colaboradores, para que fiquem o menor tempo possível na frente de trabalho ou em contato com pacientes suspeitos.

Se isso não for possível, trabalhe com a Educação Continuada e o uso adequado de EPIs que possam auxiliar como barreira contra o COVID-19.

Mantenha o ambiente arejado e sempre limpo.

Se, por acaso, algum funcionário do laboratório for um caso suspeito, solicite que ele permaneça em isolamento doméstico, em casos de sintomas leves, ou procure um serviço de emergências em casos de sintomas mais graves.

Não permita que colaboradores com sintomas respiratórios ou com suspeita de infeção continue atendendo pacientes ou atuando diretamente no ambiente do laboratório. Evite a propagação interna.

O Ministério da Saúde regulamentou os critérios de isolamento e quarentena que deverão ser aplicados pelas autoridades de saúde local para pacientes com suspeita ou confirmação de infecção por coronavírus no Brasil. As regras entram em vigor a partir desta quinta-feira (12) com a publicação de portaria no Diário Oficial da União (DOU).

A medida faz parte das ações para enfrentamento da Emergência em Saúde Pública de Importância Internacional (ESPII) decorrentes do coronavírus. O objetivo é evitar a dispersão do vírus pelo país.

O tempo de isolamento domiciliar pode variar, entretanto está sendo recomendado o período de 14 dias.

Comunicados oficiais

As Sociedades ligadas a análises clínicas e medicina laboratorial emitiram comunicados oficiais que você pode verificar nos links a seguir:

Mantenha a calma

Atuamos diretamente no trabalho diário combatendo a disseminação da doença e é comum que alguns momentos possamos nos sentir perdidos ou desesperançados. Mas é importante não abaixar a cabeça.

Sobretudo, devemos realizar uma boa gestão emocional para não perdermos o controle em meio a tantas notícias, muitas vezes alarmistas.

Um sono adequado e uma dieta equilibrada pode auxiliar a fortalecer a imunidade, assim como praticar atividades físicas e tentar relaxar.

E acima de tudo mantenha-se informado por fontes confiáveis e siga as orientações fornecidas por entidades responsáveis, como o Ministério da Saúde ou uma das referências que deixaremos ao final do texto.

 

Curso sobre Coronavírus

A EVG – Escola Virtual Governo disponibilizou um curso EAD sobre Vírus Respiratórios Emergentes, incluindo o novo coronavírus.

O curso é uma ação da Organização Mundial da Saúde (OMS), que fornece noções sobre os vírus respiratórios emergentes, inclusive o novo coronavírus.

A Enap, com o objetivo de disseminar conhecimento sobre o assunto, oferta o curso na EV.G para que servidores públicos e qualquer pessoa interessada tenham os devidos esclarecimentos.

Você também poderá ter mais informações nos portais da OMS e do Ministério da Saúde.

Clique aqui para acessar o curso totalmente gratuito.

Referências

 

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios