Qualidade

7 principais ferramentas da qualidade

Como utiliza-las na rotina laboratorial

Sabemos que para competir no mercado é necessária uma melhoria contínua da gestão, e existem ferramentas que podem auxiliar esse processo de melhoria da qualidade.

No artigo de hoje você vai conhecer um pouco mais sobre sete ferramentas, confira.

Gráfico de barra - histograma

1 – Histograma

O histograma vai ajudar na verificação da frequência dos dados, por exemplo, ele será representado através de um gráfico de barras, e a sua visualização vai ajudar o laboratório a compreender melhor todas aquelas variáveis que necessitam de medição quantitativa.

Em um exemplo prático o histograma pode ser utilizado para relacionar a satisfação do cliente com o laboratório, por exemplo. Dessa forma é possível compreender onde pode-se melhorar.

2 – Diagrama de Pareto

Aqui temos uma ferramenta bem interessante, ela vai ajudar a encontrar os principais problemas que podem afetar o laboratório utilizando a metodologia 80/20 (80% do resultado obtido com 20% dos esforços).

Na forma prática aplicando a ferramenta será possível identificar os problemas que podem estar acontecendo no local, verificar as causas desse problema, verificar se os protocolos existentes na instituição estão sendo aplicados da maneira correta, e se de fato eles tem utilidade para aquele contexto encontrado.

3 – Diagrama de Ishikawa

Outra ferramenta para identificar problemas, porém, essa ferramenta vai auxiliar a encontrar a raiz de determinada situação problemática!

Com ele será possível estudar mais a fundo o que está acontecendo no laboratório, e assim descobrir as variáveis que causam aquele resultado não esperado.

Na prática é necessário levantar ideias e categorias para tentar montar o diagrama e ir até a raiz do problema.

4 – Carta de controle

A carta de controle é uma ferramenta gráfica que pode auxiliar no acompanhamento de processos, ou seja, é uma ferramenta que vai ajudar a identificar de forma estatística qualquer desvio ou alteração que não era esperado dentro de um processo no laboratório.

Por exemplo, quando um produto está durando menos que o esperado, sendo que o fluxo de exames é o mesmo, dessa forma vai medir as numéricas que sofrem alterações.

No laboratório é uma ferramenta muito utilizada para gerenciar o processo de controle interno dos equipamentos e é utilizada em conjunto com as Regras de Westgard.

5 – Fluxograma de processos

Aqui temos uma representação que vai descrever um ‘’passo a passo’’ de um processo. É a descrição da sequência das ações em uma determinada atividade e pode facilitar as atividades do dia a dia.

Ou seja, na forma prática quando o laboratório for implementar algo a ferramenta vai auxiliar dando o início e o fim do processo, as atividades, os documentos necessários para que seja realizado, entre outras coisas.

6 – Diagrama de dispersão

Já essa ferramenta vai ser utilizada a fim de identificação das correlações entre duas variáveis. É uma ferramenta bem utilizada na prática das calibrações dos equipamentos utilizados na rotina.

Ou seja, o laboratório a partir do diagrama de dispersão pode saber exatamente qual a variável que fez algo acontecer, eliminando interpretações ou inferências erradas.

7 – Folha de verificação (Checklist)

Por fim, temos a folha de verificação, que é popularmente conhecida como checklist, auxiliando no processo de todas as etapas, dessa forma é possível verificar se tudo realizado no laboratório está atendendo as exigências.

Por exemplo, verificar se todos os processos antes da coleta de determinado exame estão sendo respeitadas! A folha de verificação é importante para evitar possíveis erros.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios